Beatrice LaMonte foi diagnosticada com tuberculose aos 23 anos. Após ser curada, ela se entregou a Cristo e passou a viver para pregar o Evangelho.

Quem vê Beatrice LaMonte hoje, nem imagina que ela quase morreu aos 23 anos. Na época, a jovem tinha acabado de se casar quando foi diagnosticada com tuberculose. Os médicos já haviam desistido de que ela vivesse por muito tempo, mas a esperança da cristã foi mais forte.

“Eu podia ouvir eles, mas eu não podia falar. A enfermeira disse: ‘Devo lavá-la e limpá-la?’ Ele [enfermeiro] pegou meu pulso assim e disse: ‘Não, ela não mais estará aqui pela manhã. Pode deixar ela aí mesmo”, lembrou Beatrice que hoje tem 100 anos.

“Eu disse ao Senhor, se você me deixar viver para ver o sol entrar naquela janela, eu vou te servir o resto da minha vida e eu vou para onde você quer que eu vá, e eu vou fazer o que você Quer que eu faça. E a partir daquele momento, Deus começou a me curar”, contou para o site CBN News.

Em 1940 ela recebeu alta, sendo a única paciente em sua ala que sobreviveu. A centenária manteve sua promessa a Deus, que a levou de sua casa em Pitsburgo (a segunda cidade mais populosa do estado americano da Pensilvânia) para as planícies da África do Sul. Lá ela passou a pregar o evangelho, plantar igrejas e cuidar de viciados em recuperação.

“O Senhor me deu muita fé! Naquele momento passei a acreditar em Deus para qualquer coisa. Não havia limites entre eu e Deus quando saí do hospital”, relembra.

O ministério cresceu

Beatrice começou a ministrar em uma congregação local e então em 1955, ela começou sua própria igreja num momento em que poucas mulheres ficavam no púlpito. Ela reuniu jovens de Pitsburgo e convidou-os para sua casa, mais tarde se mudando para uma loja. Emily, uma jovem da igreja, disse: “Ela nos apresentou a Deus e eu vim à igreja para uma reunião de jovens uma noite. Não posso nem imaginar como seria a minha vida hoje se ela não tivesse chegado naquele dia e nos tivesse levado para a igreja”, comentou.

Beatrice se tornou mãe pela primeira vez aos 58 anos, quando ela e seu marido adotaram um filho. Samuel agora serve como pastor sênior na igreja que sua mãe fundou e onde ela ainda ensina e prega. Ele serviu como um conforto especial para ela, especialmente depois que seu marido faleceu em 1991.

Em outubro do ano passado, em homenagem ao centésimo aniversário de sua mãe, Samuel convidou amigos e ministros de 15 estados para celebrar seus 77 anos de ministério e agradecer por cumprir sua promessa – uma promessa que ela não tem intenção de desistir tão cedo.

Beatrice compartilha: “Quando você chega aos 80 anos, os médicos querem te preparar para a morte. Mas, Jesus disse: ‘Preparai-vos para viver, para que tenhais vida e vida em abundância’. Realmente, sinceramente e honestamente, a palavra de Deus me mantém viva”, finalizou.

Confira a reportagem da CBN News:

Leave a Reply

Your email address will not be published.