Noah Galloway afirma que apesar de ter perdido os membros do corpo, ele não culpa a Deus pelo o que aconteceu.

A vida soldado do exército Noah Galloway mudou drasticamente no final de 2005, quando um dispositivo explosivo improvisado (IED) destruiu parte de seu corpo. Ele ficou sem o braço esquerdo e a perna esquerda. Foi um ataque violento que deixou Galloway em um estado emocional difícil. Ele passou a lutar por sua recuperação.

Galloway, que agora é um famoso atleta, autor e palestrante inspirado, disse recentemente ao Pure Talk, uma iniciativa da Pure Flix, responsável por produzir filmes cristãos, sobre sua impressionante jornada da crise à restauração.

O veterano disse que estava no sudoeste de Bagdá em sua segunda visita ao Iraque em dezembro de 2005, em um local conhecido como o “Triângulo da Morte”, quando a explosão aconteceu.

Pouco antes do incidente, Galloway lembrou de quando ele havia ido em uma missão anterior e voltou para sua casa. Enquanto ele estava cochilando para dormir, ele ouviu que alguns de seus colegas soldados estavam voltando para cuidar de algumas tarefas rotineiras.

Galloway foi informado de que poderia ficar e descansar, mas decidiu acompanhar a tripulação – uma decisão que mudou para sempre sua vida. “Eu não queria que eles fossem, algo de ruim acontecesse e eu não estivesse lá. “Insisti em dirigir o veículo principal”, contou.

Então Galloway e seus colegas se aventuraram com os faróis desligados e óculos de visão noturna, mas havia um grande problema: havia uma fiação escondida, que provocou uma explosão tão poderosa que mandou o veículo para o ar.

“Foi uma bomba de beira de estrada grande o suficiente para que fez o carro voar longe. Eu não me lembro de nada”, disse ele. “Eu me lembro de acordar no dia de Natal no hospital. Eu não tinha ideia da condição que eu estava”.

Galloway teve de entender que era havia amputado dois membros. Ele disse que suas emoções mudavam sempre. “Eu ficava tipo: ‘Tudo bem. Eu vou ficar bem’ e no dia seguinte eu estava com raiva. No dia seguinte eu estava chorando como um bebê”, explicou.

Ele tinha três filhos em casa para cuidar e viu que ele não estava sendo a melhor versão de si mesmo. “Eu não era uma boa pessoa”, disse Galloway sobre sua persona pós-lesão. “Eu não era alguém com quem eu passaria tempo”, contou.

Ele chegou a ficar acordado a noite inteira bebendo, festejando, fumando cigarros e comendo alimentos pouco saudáveis ​​- todas escolhas drasticamente divergentes da vida saudável que ele tinha antes dos ferimentos.

“Eu estava bebendo o tempo todo e ficava acordado a noite toda. Eu tinha uma esposa e filhos, eles estavam em casa dormindo e eu saía e só festejava”. Então, algo mudou quando Galloway observou seus três filhos pequenos sentados no sofá assistindo TV. Por alguma razão, a realidade se instalou. Algo precisava mudar. Ele percebeu que seus filhos e filhas estavam vendo seu pobre exemplo, e isso o abalou profundamente.

“Isso me assustou até a morte. Então, comecei a fazer mudanças lentamente”. Galloway voltou a trabalhar, começou a falar sobre sua história e passou anos inspirando milhões de pessoas em todo o país e no mundo. Ele está tão em forma agora que foi capa de revista e deixou uma impressão positiva como concorrente no programa “Dancing With the Stars”.

Agora ele inspira outras pessoas que enfrentam dificuldades semelhantes. Quanto à sua perspectiva sobre a perda de um braço e uma perna, Galloway disse que não alimenta raiva. “Eu tive pessoas desde cedo que me perguntaram se eu estava bravo ou com raiva de Deus. Mas, eu nunca tive”, disse ele.

Confira a entrevista (em inglês):

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST

Leave a Reply

Your email address will not be published.