Os pais biológicos de Jen Bricker deram ela para a adoção. Um casal cristão a recebeu em sua família e a educou nos caminhos do Senhor. Foi assim que a acrobata aprendeu a vencer seus limites físicos.

Jen Bricker diz que Deus a transformou em uma guerreira: “Uma guerreira espiritual”, ela conta. Sua ascensão como acrobata mundial foi um passo muito difícil, assim como outras realizações de sua vida. Ela teve de lutar bastante por isso. O motivo? Jen nasceu sem pernas. Mas para ela, isso era apenas um detalhe.

Apesar de sua deficiência, a ginasta não acreditava que essa era sua identidade. “Essa é apenas uma parte do que eu sou. Quando você é criado assim, você simplesmente não pensa nisso desse jeito, como uma grande questão, porque nunca foi assim”, disse ela em entrevista para a CBN News.

Ela nasceu de um casal romeno, que a deu para adoção. Sharon e Gerald Bricker, um casal cristão de uma pequena cidade de Illinois (EUA), a adotou em sua família. Eles ensinaram Jen a enfrentar a vida usando uma regra simples: “Nunca diga que não pode”.

Jen diz: “Eles me criaram com esse tipo de força, é uma força de guerreiro. Então eu disse para eles: ‘Eu quero jogar softball, basquete, poder cair, eu mesmo quero ir a patinação’. E em vez deles me proibirem, me enchendo de perguntas e dizendo motivos pelos quais eu não poderia fazer essas coisas, eles disseram: ‘Ok’. Eu sei que você vai aprender tudo isso. Então vamos colocar os patins em suas mãos’”, contou.

Uma jovem segundo o coração de Deus

Os pais de Jen deram a ela a coragem de seguir seu sonho: a ginástica. Ela insistiu em competir ao lado de meninas sadias. Na escola, ela até ganhou o campeonato estadual. Mas o mais importante foi que seus pais a criaram para ser uma mulher segundo o coração de Deus.

Jen diz: “Eu lia a Palavra todas as manhãs, eu orava e quando eu comecei a fazer isso como parte diária da minha vida, mudou tudo em mim. Minha vida deriva disso”, ressaltou. Ela estava com 16 anos quando perguntou a seus pais sobre sua família biológica, e porque tinham dado ela para adoção.

Jen explica: “Eles eram imigrantes pobres, já tinham um filho, e não sabiam se haveria dinheiro extra porque não sabiam se eu precisaria de cuidados médicos. E eu não tinha pernas. Meus pais disseram: “Não importa qual seja a razão, as coisas iriam acontecer dessa forma. Nós oramos por você. Você foi a nossa oração respondida, você foi o nosso milagre, e nós queríamos você. E você deveria estar conosco”, lembrou.

Ela também descobriu que a medalhista de ouro olímpica Dominique Moceanu era sua irmã. Jen lembra: “Eu conhecia esse nome, porque, quando criança, eu a assistia na TV. Eu sabia que ela era romena e eu sabia que eu também era. E nós éramos tão parecidas. Então eu descobri que ela é minha irmã biológica”, disse.

Foi ai que Jen começou a construir um relacionamento com sua família biológica. Seu pai faleceu antes que eles pudessem se encontrar, mas ela soube que ele queria desistir da adoção. “A coisa que eu não sabia quando conheci minha mãe biológica foi que ela nem sequer me abraçou depois que eu nasci. Foi um tempo realmente triste para ela em sua vida, e algo que ela ainda está se recuperando”, contou.

“Deus me protegeu de tantas coisas para me dar essa força que eu preciso hoje”, disse Jen. (Foto: Reprodução). 

Guerreiro passa por dificuldades

Depois do ensino médio, Jen fez um estágio na Disney World. Foi então que decidiu seguir a carreira de atriz acrobática. Foi uma luta desde o início. Jen lembra: “Estava com sobrepeso, era novata. Eu não era a melhor. Na verdade, ninguém seu pernas havia sido acrobata. Então ninguém queria me contratar. Todo mundo estava com medo de como a audiência reagiria, o que as pessoas pensariam, como as pessoas se sentiriam”,contou.

A única pessoa que acreditava nela era sua sócia, Nate Crawford. Logo começou a reserva de shows. Após apresentar inúmeros shows, Jen enfrentou uma das batalhas mais difíceis de sua vida. De volta ao treinamento, ela começou a ficar obcecada com seu peso e aparência. Ela olhava constantemente para os espelhos, incapaz de controlar os pensamentos que lhe diziam que ela era feia.

Jen diz: “Não importava se todo mundo me dissesse que eu era bonita, sabe? Não era esse o ponto. O ponto era o que estava acontecendo na minha cabeça. Minha qualidade de vida era tão baixa, e eu simplesmente não era quem eu era”.

Jen percebeu que ela precisava agir quando uma amiga lhe perguntou sobre sua drástica perda de peso. Ela decidiu cobrir seu espelho com uma colagem de fotos de sua família e amigos por 40 dias. Nesse período ela buscou a ajuda de Deus.

Ela diz: “A coisa mais incrível aconteceu. Quando eu fiz isso, percebi que havia tanta alegria e emoção e felicidade em mim. Ninguém poderia me tirar isso. Só Deus. E, literalmente, repetindo as escrituras em voz alta, várias vezes ao dia, escolhendo alegria quando eu não queria ser feliz. Escolher que eu ia superar aquele dia e não ia me superar. Escolhendo amar a mim mesmo e me sentir bonita quando me sentia tão gorda, mesmo sendo tão pequena. Foi um longo tempo para ficar tranquila. Eu aprendi muito com isso. Deus me fez como uma guerreira”, pontuou.

“Deus me protegeu de tantas coisas para me dar essa força que eu preciso hoje. E isso não é algo que você pensa quando diz ‘guerreira’. Mas isso é absolutamente um traço de ser guerreira. Só um guerreiro espiritual permite que Deus brilhe através de você com alegria e amor”, finalizou.

Confira a reportagem da CBN News (em inglês):

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CBN NEWS

Leave a Reply

Your email address will not be published.