Como o cristão deve se comportar no culto? Dois pastores, um batista e um presbiteriano, conversaram sobre o assunto e fazem um alerta: “A gente tem que voltar para o original”

Você é daquelas pessoas que conversam baixinho na hora do culto? Ou daquelas que pedem silêncio para os que conversam? Seja qual grupo for, você já deve ter ouvido falar de “reverência no culto”. E é exatamente esse tema que foi abordado entre os pastores  Leônidas Francisco da Igreja Presbiteriana e Rony Carrijo da Igreja Batista da Lagoinha. A conversa foi mediada pelo apresentador Cássio Miranda que é historiador e teólogo.

“Eu penso que para a pessoa saber o que é irreverência ela tem que saber onde ela está e porque está. Se a pessoa não tem esse entendimento, qual o objetivo de estar ali? Qual o propósito dela ali? A pessoa tem que saber o que é um culto, o que é celebração”, iniciou o pastor Leônidas.

Ele continua: “Tem culto hoje que virou ponto de encontro. O cara fica lá fora esperando terminar o culto para sair com a galera. Então, ele vai cultuar a quem? Acho que a gente tem que voltar para o original. Saber quem é Deus, qual sua motivação de ir para o culto. Temos que voltar para essas coisas básicas, porque o negócio ficou muito à vontade. Parece que eu vou lá e Deus tem que me servir”, alertou o pastor.

“Então, essa coisa do absoluto, do eterno ficou meio perdido. Então, eu vou lá e Deus me serve, eu faço o que quero, vou lá fora, bato um papo volto”, ressaltou.

Música na igreja

Após abordarem a questão da forma adequada de se vestir para o culto, o pastor Rony Carrijo pontuou que isso acontece devido a um conjunto de fatores e citou as músicas cantadas nas igrejas como um deles.

“Se você olhar a lista de músicas que cantamos na igreja, a maioria delas não cultua a Deus, cultua o homem. E aí você já vai com o intuito de receber uma auto-ajuda, uma palavra para tocar minhas suas emoções e ai perde a identidade. As pregações também mudaram demais”, denunciou.

“Isso é uma característica que nós adotamos na Lagoinha Palmeiras e eu aprendi isso com o Luis Felipe da Lagoinha Mineirão. Lá nós não cantamos nenhum tipo de música que não exalte a Cristo, que não fale do Espírito Santo, que não exalte a Deus. Já é crivo, o grupo de louvor já vai sabendo. Eu estou indo para quê? Para cultuar. Cultuar quem? Jesus. Então eu tenho que esquecer de mim, me esvaziar para cultuá-lo. Se não a gente vai continuar do jeito que está”, comentou.

Confira o bate-papo na íntegra:

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA REDE SUPER

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.