Britânico morreu na Nigéria, nas mãos do grupo de militantes Karowei

 

O médico britânico Ian Squire, sequestrado em 13 de outubro no estado do Delta, sul da Nigéria, foi morto enquanto cantava o hino “Amazing Grace” [Graça Maravilhosa]. Alanna Carson, David Donovan e Shirley Donovan, os outros três reféns da mesma nacionalidade foram libertados após três semanas de cativeiro.

Os sobreviventes revelaram à imprensa inglesa que Ian servia como missionário na região havia três anos, trabalhando com uma instituição de caridade cristã. Seus dois filhos adultos também trabalhavam como missionários na região. Segundo a polícia nigeriana, os executores eram de um grupo de militantes chamado Karowei. A Nigéria vive uma guerra civil, onde milícias islâmicas atacam e matam cristãos com frequência. As autoridades não classificam o assassinato dos ingleses como crime de “ódio religioso”, mas as investigações continuam.

Os momentos finais da vida de Ian Squire foram descritos pelo casal de missionários David e Shirley, que ficaram todo o tempo com ele no cativeiro. Para animar os colegas, o médico gostava de tocar o violão que manteve consigo durante o sequestro. Certo dia, ele começou a tocar Amazing Grace quando um dos militantes começou a atirar nele.

Dias após a morte do colega, os demais cativos foram libertados depois que o resgate foi pago pelo governo nigeriano.

O doutor David Donovan, 57 anos, e sua esposa Shirley, 58, iniciaram a instituição de caridade médica New Foundations em 2003. Eles contam que o objetivo era levar a fé cristã e ajudar as pessoas que não tinham acesso a atendimento médico. Desde o início enfrentaram problemas, incluindo doenças graves e roubos, mas não desistiram.

Eles foram responsáveis por abrir quatro clínicas na região, onde ofereciam gratuitamente exames medicamentos, incluindo vacinas. Eles não sabem ainda se voltarão para a Nigéria depois de tudo que lhes aconteceu. Com informações The Guardian

Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.