Os cristãos chineses que estão sendo treinados como missionários para compartilhar o Evangelho na Coreia do Norte – classificado atualmente como o pior país do mundo em nível de perseguição cristã – dizem que “não têm medo” do tratamento brutal que podem enfrentar por levarem uma mensagem cristã à nação vizinha.

Em declarações à China Aid sob condição de anonimato, dois pastores disseram que estão bem conscientes dos perigos que podem enfrentar, mas que também estão determinados a compartilhar o amor de Cristo com o povo da Coreia do Norte.

Um tradutor parafraseou os pastores que estão sendo enviados, que se mostrou bem ciente dos desafios que estão prestes a enfrentar.

“Ele [um dos pastores] compartilhou algo sobre a crueldade de como as pessoas são maltratadas na Coreia do Norte se forem consideradas cristãs ou se alguma vez disserem algo sobre Jesus. Suas respectivas famílias provavelmente desaparecerão e os homens provavelmente serão espancados ou terão suas mãos decepadas. Se forem mulheres, você pode imaginar, talvez que elas sofrerão estupros coletivos”, contou.

“Então, ele está dizendo que, uma vez que você está falando sobre medo, sua equipe está treinando [missionários] que são destemidos e também não têm família. Como eles são solteiros (ainda não têm esposas, nem filhos), asseguram que estão prontos a ‘dar suas vidas por Cristo a qualquer momento’ se eles forem para a Coreia do Norte e encontrarem qualquer situação ruim por lá”, acrescentou.

Os http://www.cialispharmaciefr24.com/cialis-et-troubles-du-rythme/ pastores falaram sobre o líder de uma igreja coreana-chinesa, que passou 17 anos evangelizando norte-coreanos, mas foi acabou sendo assassinado.

O líder cristão foi esfaqueado 17 vezes e teve o seu corpo encontrado no rio Tumen, no nordeste da China.

“Provavelmente o pastor foi assassinado por norte-coreanos”, informaram os pastores.

Os pastores destacaram que justamente por saberem dos riscos que estão correndo, o integrantes desta equipe de missionários já asseguraram que estão dispostos até mesmo a entregarem suas vidas pelo Evangelho.

“É por isso que agora estamos construindo essa destemida equipe de pessoas dispostas a morrer se tiverem que fazê-lo. O foco disso tudo não está em nós mesmos, mas tudo o que importa é o Reino de Deus”, acrescentou um dos pastores.

“Nós os amamos [norte-coreanos] e Deus os ama. Deus tem misericórdia deles, por isso estamos dispostos a nos dedicarmos a eles. Esperamos que todos aqueles que podem contribuir assim o façam por este ministério. Nós podemos estar unidos e realizar este propósito juntos”.

Outro pastor do grupo disse: “Nós não queremos ser conhecidos pelas pessoas, queremos fazer nossos próprios esforços pelo Reino de Cristo. Somos chamados especialmente por Deus para estar neste ministério, que ninguém mais quer fazer”.

Um relatório divulgado pela organização ‘Christian Solidarity Worldwide’ (CSW) em setembro (2016) informou que os cristãos da Coreia do Norte têm enfrentado intensa perseguição e sofrendo com estupros, torturas, escravização e execuções, simplesmente por causa da fé que professam. A liberdade de religião ou crença “simplesmente não existe” sob a liderança do ditador Kim Jong Un, segundo informaou a ‘CSW’.

“As crenças religiosas são vistas como uma ameaça à lealdade exigida pelo ‘Líder Supremo’, de modo que qualquer pessoa que detenha essas crenças é severamente perseguida”, disse o relatório. “Os cristãos sofrem muito por causa dos rótulos ‘anti-revolucionários’ e ‘imperialistas’ impostos sobre eles pela liderança do país”.

Segundo o documento da CSW, os cristãos da Coreia do Norte estão sendo “crucificados, queimados vivos, esmagados por um rolo compressor e lançados do alto de pontes”.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN TODAY

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.