Uma das sobreviventes do massacre que deixou nove pessoas mortas numa igreja de Charleston, na Carolina do Sul (EUA), relatou os detalhes do momento em que o atirador Dylann Roof, de 22 anos, invadiu a Igreja Metodista Episcopal Africana Emanuel.

A enfermeira aposentada Polly Sheppard, de 72 anos, estava participando de um estudo bíblico junto com as outras vítimas momentos antes do ataque, que aconteceu em junho de 2015.

Sheppard relata que quando o assassino atirou nos membros da igreja, ela estava com os olhos fechados em oração. Ela pensou ter ouvido um som elétrico, até que ouviu outra sobrevivente, Felicia Sanders, gritou: “Ele está atirando em todo mundo, senhora Polly!”

“Eu não atirei em você ainda?”, Roof questionou a Sheppard. Ela lembra que respondeu não e Roof rebateu: “Eu não vou deixar você aqui para contar a história”.

O testemunho de Sheppard foi ouvido pelo júri nesta quarta-feira (14).

O pastor da igreja, Rev. Clementa Pinckney, morreu com cinco tiros. A vítima mais velha, Susie Jackson, de 87 anos, foi atingida pelo menos 10 vezes. Roof enfrenta acusações de crimes de ódio, assassinato, obstrução da religião e violação de armas de fogo.

Roof tinha preparado meticulosamente todo o ataque e escreveu um manifesto de suas crenças racistas. Ele tinha tirado fotos de si próprio com a bandeira confederada dos EUA e projetou um logotipo da ‘supremacia branca’ nas imagens.

Na abertura de seu julgamento na última quarta-feira (7), promotores disseram que o assassino tem um “coração frio e cheio de ódio”.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CHRISTIAN TODAY

Leave a Reply

Your email address will not be published.