Segundo o pastor Ronald Floyd, há uma guerra espiritual por trás dos tiroteios em massa que têm atingido comunidades nos EUA.

O presidente do Dia Nacional de Oração dos Estados Unidos e pastor sênior da Cross Church, Ronald Floyd iniciou uma verdadeira caminhada de oração em torno das escolas de sua região, no estado do Arkansas, após uma sequência de tiroteios em massa nos ambientes de ensino.

Floyd compartilhou em uma entrevista publicada pelo site Charisma News o que está por trás desta iniciativa, que olha com seriedade para a verdadeira guerra espiritual existente neste contexto de violência.

Segundo o pastor, a iniciativa tem como principal objetivo atender ao chamado da Igreja com relação à própria comunidade onde ela está plantada.

“Um dos nossos chamados como igreja é orar pela nossa comunidade local. Fazemos isso há anos. Queremos que famílias feridas sejam restauradas, relações sejam curadas e muros de hostilidade e divisão sejam destruídos. Mais do que tudo, queremos que a comunidade conheça Jesus. O início de um novo ano escolar é outra oportunidade para envolvermos nossa comunidade em oração”, explicou Floyd.

“Todos nos lembramos vividamente dos recentes e trágicos tiroteios em escolas pelos quais nossa nação passou. Muitos alunos e seus pais estão indo para a escola, imaginando se estarão seguros em suas salas de aula. Como igreja, queremos cobrir nossas escolas locais desde o início do ano com orações de proteção pelos nossos alunos, nossos professores e nossos atendentes de emergências”, acrescentou.

Poder da oração

O pastor Ronald explicou que a oração não faz parte apenas do início ou do fim de um projeto, mas é a ação maior deste e também a melhor arma para esta guerra espiritual.

“Como cristãos, devemos reconhecer a oração como parte integrante de nossa fé. Não podemos esperar até que a tragédia nos atinja para decidirmos orar. Estamos vivendo em uma época na qual nossas escolas, igrejas e locais públicos de reunião estão se tornando cada vez mais alvos de pessoas que desejam nos fazer mal. Este não é o momento para a passividade!”, destacou.

“Além disso, as Escrituras nos dizem que nossa luta não é contra inimigos físicos, mas contra as forças espirituais do mal (Ef 6:12). Isso é fundamental. Quando oramos, não estamos simplesmente pedindo a Deus que nos proteja de ataques violentos. Na verdade, estamos combatendo as forças malignas por trás desses ataques. A oração é a nossa maior arma contra o mal”, lembrou.


Ronald Floyd é o presidente do Dia Nacional da Oração, nos EUA e pastor sênior da Cross Church, no estado do Arkansas, EUA. (Foto: CBN)

Pedidos de oração

Quando questionado sobre o alvo da oração, Ronald apontou que o foco desta iniciativa é de fato a segurança de todas as pessoas que estão no ambiente escolar, a começar pelos estudantes, depois os funcionários das escolas e também as equipes de segurança e resgate.

“Em primeiro lugar, estamos orando pela segurança de nossos alunos. Estamos pedindo a Deus para protegê-los do mal. Também oramos pelos professores, diretores e administradores escolares para que eles tenham sabedoria e sejam capazes de estabelecer os protocolos de segurança corretos para evitar que ocorra a maior tragédia possível. E oramos pelos nossos policiais locais e socorristas, para que eles estejam alertas contra possíveis ameaças e que Deus os coloque no lugar e na hora certa para detê-los”, explicou.

Impacto

Ronald destacou que mesmo a volta às aulas estando ainda recente, a iniciativa já está dando bons frutos.

“Embora o ano letivo mal tenha começado, notamos que a oração já está causando impacto nas escolas — embora não de uma maneira que algumas pessoas esperavam. As mudanças que estamos vendo são espirituais. Alguns de nossos alunos já estão entrando em suas escolas com a missão e o propósito de serem sal e luz entre seus colegas. Em um ambiente cheio de medo do incerto, sua fé e confiança em Deus os diferencia. Eles têm esperança eterna em Jesus”, disse.

“Os professores percebem como esses alunos mudam o ambiente em suas salas de aula por meio de sua fé e disposição em servir. E até os pais que podem não ser crentes, também são gratos por alguém ter orado pela segurança de seus filhos. Às vezes não vemos mudanças imediatas e dramáticas por causa de nossas orações, mas Deus está nos ouvindo e trabalhando em nossos corações e nos corações daqueles que nos rodeiam”, acrescentou.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHARISMA NEWS

Leave a Reply

Your email address will not be published.