Estudantes de uma escola católica gritaram frases de antijudaísmo em resposta à torcida de adolescentes judeus.

Um inofensivo jogo de basquete entre times de colégios católico e judaico, se tornou lugar para uma coletiva expressão anti-semita contra os descendentes de Israel.

Durante um torneio entre as escolas de ensino médio Catholic Memorial School e Newton North High School, na noite de sexta-feira (11) em Boston, nos Estados Unidos, os adolescentes judeus gritaram a frase “festa da salsicha” ao time adversário, para zombar do fato de serem um colégio composto apenas por meninos.

Em resposta, a torcida católicos repetiu, por diversas vezes: “Vocês mataram Jesus! Vocês mataram Jesus!”. A frase foi uma clara referência à acusação de que os judeus seriam responsáveis ​​pela morte de Jesus Cristo.

“Estamos chocados com o comportamento de alguns torcedores durante o jogo da noite de sexta, e profundamente preocupados sobre por que eles acharam que este canto fosse apropriado para um jogo de basquete da escola”, disse Robert O. Trestan, diretor da Liga de Anti-Difamação da Região da Nova Inglaterra. “O discurso de ódio não tem lugar nas arquibancadas de nenhum evento esportivo”, acrescentou.

O diretor da escola católica, Peter Folan, disse ao jornal The Washington Posthe que estava “profundamente perturbado” com o grito dos alunos. “O colégio Catholic Memorial e sua equipe agiram imediatamente para cessar o comportamento. Os administradores de ambas as escolas e representantes da MIAA discutiram o incidente. Na conclusão do jogo, os alunos da CM foram repreendidos e cada um, pessoalmente, se desculpou com o diretor da Newton North High School, apertando sua mão antes de deixar a arena”, disse Folan.

Apoio superficial

Em 1965, a Igreja Católica emitiu a declaração “Nostra Aetate”, que mudou a relação com os judeus depois de séculos de antijudaísmo e acusações de ser o povo responsável pela morte de Jesus Cristo.

“Apesar das autoridades dos judeus, com seus seguidores, reclamarem a morte de Cristo, no entanto, o que se fez em sua Paixão, não pode ser imputado nem indistintamente a todos os judeus que então viviam, nem aos judeus de hoje”, afirma o texto da declaração.

Por outro lado, a Igreja Católica vem se opondo, muitas vezes, aos atos de Israel. Em fevereiro, um grupo dos mais altos clérigos católicos, liderados pelo patriarca latino de Jerusalém, Fouad Twal,responsabilizou Israel pela recente onda de violência palestina nesta quinta-feira (18).

De acordo com a acusação, o Estado judeu teria criado desespero e frustração nos palestinos, os induzindo a realizar atos de terrorismo.

O muro que separa Belém de Israel também têm sido alvo de grandes conflitos entre a Igreja Católica que, unida aos palestinos, têm se posicionado contra o Estado judaico. Em setembro do ano passado, uma manifestação iniciada por católicos contra a extensão do muro foi contida pelas forças israelenses.

A manifestação começou após a missa dominical em Cremisan, próximo a Belém, e foi dirigida pelo ex-chefe da Igreja Latina, em Jerusalém, o patriarca Michael Sabbah. Ele fez um apelo para o mundo cristão ajudar na luta contra a invasão de Israel em terras palestinas. FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE TIMES OF ISRAEL

Leave a Reply

Your email address will not be published.