Em uma casa de caridade, 40 meninas foram mortas vítimas de um incêndio que iniciou por meio de um colchão queimado.

O evangelista internacional Luis Palau encontrou-se com o presidente da Guatemala, Jimmy Morales, para oferecer palavras de encorajamento e esperança depois que 40 meninas morreram tragicamente em um lar para jovens em situação de rua e com problemas relacionados a drogas.

“Este é um momento difícil para a nação da Guatemala”, disse Palau após sua reunião privada com Morales. “Muitas pessoas estão sofrendo, muitas famílias estão sofrendo, muitas pessoas estão fazendo perguntas profundas e fundamentais”.

Palau estava no país realizando um festival evangelístico quando o fogo atingiu uma casa de caridade para crianças em San Jose Pinula, uma aldeia a leste da capital, no dia 8 de março. O cristão disse que ele foi convidado a conhecer Morales e entender como a nação lamentou a perda das crianças.

“Ofereci minha mais profunda simpatia ao povo da Guatemala, especialmente as famílias diretamente afetadas pela tragédia, e lembrei ao presidente que a comunidade evangélica está orando pela nação durante este momento difícil”, disse Palau em um post no Facebook.

Boa Nova

Palau, que realizou vários eventos evangelísticos na Guatemala desde o início da década de 1970, diz que foi convidado para “proclamar a Boa Nova de Jesus na capital da Guatemala” pelos pastores locais e realizar um “grande festival” na praça central da capital.

Ele diz que a tragédia na casa apenas ressaltou a importância de sua mensagem. “Que melhor momento para nós levantar o nome de Jesus Cristo e lembrar a nação sobre Sua esperança, sacrifício, amor e paz, mesmo em meio a esta dor e perda”, ressaltou.

O incêndio teria começado quando um grupo de moradores, zangado com as condições na casa de caridade, ateou fogo em um colchão, numa tentativa de chamar atenção. Um relatório afirma que muitas das meninas que morreram não puderam escapar porque estavam trancadas.

Mesmo antes do incêndio, houve inúmeras alegações de superlotação e abuso no local, levando um defensor dos direitos humanos a pedir o seu encerramento. Várias das vítimas que sobreviveram ao incêndio estão sendo tratadas nos Estados Unidos.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA CBN NEWS

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.