Em meio aos horrores da guerra na Síria, Deus está fazendo milagres e transformando vidas. O Irmão John, do ministério “Voz dos Mártires“, compartilhou com o site Mission Network News algumas histórias inspiradoras sobre pessoas que deixaram seus antigos hábitos para seguirem a Jesus Cristo.

Uma delas é de uma mulher muçulmana que era combatente da Al-Qaeda e servia como enfermeira para auxiliar militantes feridos do grupo islâmico. Ela passou a frequentar uma nova igreja inaugurada na Síria, até que foi encorajada a contar sua história ao pastor.

“Eu vim [para a igreja], ouvi o Evangelho e conheci a Cristo. Eu tinha medo de contar minha história porque eu tinha medo que vocês me denunciassem e eu fosse presa”, disse o líder da igreja.

Hoje, ela substituiu o seu fuzil AK-47 por algo que lhe garante proteção máxima: a Bíblia Sagrada.

O Irmão John também compartilhou o relato do que aconteceu durante uma visita que ele fez a um obreiro, em meio a um feriado islâmico. Chegando na tenda do cristão, John observou que ele recebeu um grupo de muçulmanos que estavam celebrando a data sagrada. O obreiro estava com uma Bíblia nas mãos.

John estava orando para que o obreiro não compartilhasse o Evangelho com os muçulmanos, temendo que isso pudesse causar uma resposta violenta. No entanto, ele presenciou o contrário: o homem abriu a Bíblia e falou sobre Cristo.

“Começou a acontecer um bate papo com perguntas e respostas, e ele estrategicamente ia respondendo. Um homem irritado saiu, e logo depois o Senhor começou a se mover”, conta John.

“Uma mulher se levantou e disse: ‘eu vi Jesus em um sonho’. Em seguida, outras mulheres interromperam a conversa e disseram que também viram Jesus. Então, em duas horas, começamos a ouvir sobre três histórias diferentes de pessoas que viram Jesus em sonhos e visões”, disse ele.

Segundo John, os cristãos na Síria estão firmados em sua fé, apesar de estarem, “literalmente, nas mira do perigo e da perseguição”.

Ele questionou a um dos pastores porque ele e sua família ainda estão em Alepo, apesar dasconstantes ameaças de morte.

O pastor respondeu: “Se eu disser que Jesus é o maior exemplo e que Ele morreu por mim, eu estou disposto a colocar minha vida em risco. É claro que existe a morte, mas vejo também a bela imagem da ressurreição, de pessoas conhecendo Jesus Cristo. É por isso que elas permanecem dentro da Síria”.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CHRISTIAN TODAY

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.