Ele teve um grande sucesso, estrelato e muito dinheiro. Mas apesar de tudo isso, Gene Elliott Thornton Jr., um pioneiro do rap anteriormente conhecido como “Malice” (Malícia, em português) não conseguia encontrar total satisfação em sua vida. Ele tentou usar drogas e até se tornou um traficante, mas isso só piorou as coisas para ele.

O artista estava indo direto para a condenação, quando finalmente encontrou o que ele estava procurando: o significado final e propósito da vida, através de Jesus Cristo. Depois de sua conversão pública ao cristianismo em 2011, “Malice” mudou seu nome para “No Malice” (Sem Malícia, em português) no ano seguinte e até fez um vídeo onde ele participou de um “funeral” para enterrar seu antigo eu.

Agora a Netflix lança um documentário intitulado “The End of Malice” (O fim da Malícia), onde o rapper explora seu passado escuro e sua jornada pessoal para a redenção em Jesus Cristo.

Em um vídeo de dois minutos, publicado pelo movimento “I Am Second”, No Malice explica como ele deixou seus velhos hábitos, como as drogas. Durante a última década, os fãs de hip-hop conheceram Malice como parte de um grupo de rap. Mas, as coisas mudaram no início de 2011, quando o americano lançou um livro intitulado “Miserável, lamentável, pobre, cego e nu”.

10 mil exemplares

O livro foi inspirado por eventos da vida real e sua fé recém-descoberta em Deus, de acordo com a Black Enterprise. O livro, publicado de forma independente, vendeu cerca de 10 mil exemplares em apenas alguns meses, depois de ter sido lançado.

No Malice disse para a Black Enterprise que o título do livro foi inspirado em Apocalipse 3:17, “que fala sobre o quanto você pensou que era rico e quanto você pensou que tem tudo acontecendo, mas você era realmente miserável, lamentável , pobre, cego e nu”.

Questionado sobre o que o levou a se converter a Cristo, No Malice disse que foi no momento em que ele percebeu que estava em depressão. “Simplesmente nunca estava satisfeito, sempre querendo e procurando e procurando a próxima grande oportunidade para me satisfazer, mas nunca alcançava”. “Sem sombra de dúvida, eu sei quem salvou minha vida foi Jesus Cristo”, finalizou.

Confira o trailer do documentário:

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN TODAY

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.