Um caminhão invadiu um mercado de Natal nesta segunda-feira (19) em Berlim, na Alemanha, deixando 12 pessoas mortas e ao menos 48 feridas, sendo 18 em estado grave.

O caminhão saiu da avenida em que estava e entrou na área da feira, que acontece na praça Breitscheid, perto da avenida Kurfürstendamm, na parte Ocidental de Berlim.

O ataque foi classificado como atentado terrorista pela chanceler alemã, Angela Merkel, nesta terça-feira. “Pelo que se sabe atualmente, devemos presumir de que se trata de um atentado terrorista”, disse ela.

Antes disso, as autoridades da Alemanha estavam evitando tomar posições e declarar que o acidente pudesse ter sido planejado e executado por terroristas.

“Há muito que ainda não sabemos com certeza suficiente, mas precisamos, da forma que as coisas estão agora, presumir que foi um ataque terrorista”, acrescentou Merkel. “Sei que seria especialmente difícil para nós suportarmos isso caso seja confirmado que a pessoa que cometeu este ato era alguém que buscou proteção e asilo”.


Policiais isolam praça com feira de Natal em Berlim que foi invadida por caminhão. (Foto: Reuters/Fabrizio Bensch)

O principal suspeito do ataque é identificado como Navid B.,um paquistanês de 23 anos, nascido em 1º de janeiro de 1993, em Turbat. Ele teria chegado à Alemanha no dia 31 de dezembro de 2015 e se estabelecido em Berlim em fevereiro deste ano. O suspeito negou sua participação no ataque, o ministro do Interior, Thomas de Maizière.

O Rev. Woyin Karowei, primeiro nigeriano a ser bispo na Igreja da Inglaterra, lamentou pela tragédia em Berlim se recordando de suas experiências provocadas pelo terrorismo em sua terra natal.

“Em tempos de dor e dificuldade, as pessoas fazem a pergunta: ‘Onde está Deus?’ Costumo dizer que Deus está conosco. Essa é a mensagem do Natal. Emanuel, o Deus conosco”, disse ele ao site Christian Today.

“Deus nunca nos abandona em nosso tempo de angústia. Na verdade, se não fosse pela graça de Deus, mais pessoas poderiam ter sido mortas em Berlim ontem”, afirmou. “Deus está conosco em nosso sofrimento. Deus sente a nossa dor com a gente, ele chora com a gente. Se não fosse por Seu apoio e força, como poderíamos lidar com tempos difíceis?”.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE UOL

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.